Paulo Cafôfo

Paulo Alexandre Nascimento Cafôfo, cidadão empenhado e ativo, é professor de carreira. Nasceu no Funchal em 18 de maio de 1971, na Freguesia de Santa Luzia. Tem dois filhos

Licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Tornou-se professor de História e exerceu docência em várias escolas da Região Autónoma da Madeira, a par de diversos cargos de direção nos Conselhos Executivos e Pedagógicos. O seu conceito de cidadania participativa fê-lo intervir ativamente e assumir vários cargos em diversas organizações.

Destacou-se no Laboratório de Ideias da Madeira, estrutura que desenvolveu uma série de debates com diversas personalidades, tendo em vista as várias áreas da governação Regional e Local. Pela sua forma enérgica e assertiva com que defendia as suas propostas. As suas intervenções levaram a que fosse escolhido para liderar uma lista de cidadãos, concorrendo como cabeça-de-lista independente nas eleições autárquicas de 2013. Foi eleito Presidente da Câmara Municipal do Funchal no dia 29 de setembro de 2013, pela Coligação Mudança, pondo fim à hegemonia do PSD na principal Câmara da Região, onde sempre teve maioria absoluta. 

Foi presidente da AMRAM – Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira e da CMU – Confederação dos Municípios Ultraperiféricos. 

Em 2017, candidatou-se novamente à presidência do Funchal através da coligação Confiança, alcançado a maioria absoluta com 42,05%.

Os seus mandatos ficaram marcados por vários feitos como uma redução da dívida da câmara, a realização do primeiro Orçamento Participativo na Região Autónoma da Madeira, a criação da Loja do Munícipe do Funchal, a reabertura do Complexo Balnear do Lido, o novo PDM, e a definição da reabilitação urbana como o desafio da década para a cidade.

Renunciou ao mandato de presidente da Câmara Municipal do Funchal a 1 de junho de 2019, com vista a ser candidato a presidente do Governo Regional da Madeira, indicado pelo Partido Socialista, nas eleições legislativas regionais de 2019. Obteve a maior votação de sempre do PS, com 35,76%, elegendo 19 deputados. Pôs fim, pela primeira vez na história da democracia, à maioria absoluta do PSD na Assembleia Legislativa Regional da Madeira.

Foi eleito presidente do PS Madeira a 25 de julho na maior votação de sempre da história do partido